Portal do Governo Brasileiro

  • A A A


  • Café e debate sobre violência marcam dia da mulher no IFC Camboriú


    Para marcar o dia internacional da mulher, o Instituto Federal Catarinense (IFC) – Camboriú realizou um café da tarde para homenagear as servidoras, terceirizadas e estagiárias do campus. Logo após, todos foram convidados a participar da palestra sobre “Violência contra as mulheres”, ministrada pelo psicólogo da Delegacia de Polícia de Camboriú, Gustavo do Rego Barros Brivio.

    Violência contra a mulher em debate no IFC Camboriú

    PalestraQuem nunca ouviu a frase “em briga de marido e mulher, não se mete a colher?”, perguntou o psicólogo da Delegacia de Polícia de Camboriú, Gustavo do Rego Barros Brivio. Famoso, o ditado soa como uma forma de não interferirmos na vida alheia. Mas, até que ponto devemos agir assim? De acordo com o psicólogo, precisamos sempre estar atentos a qualquer indício de violência – seja física ou emocional – e temos o dever de denunciar para que o Estado tome as medidas cabíveis.

    O psicólogo aproveitou para ressaltar que o senso comum aponta que a violência contra mulher está presente somente nas classes desfavorecidas socialmente. “Isso não é verdade, pois podemos verificar que a “Maria da Penha”, que originou a criação da Lei, e o marido são pessoas com formação em ensino superior (bioquímica e professor universitário)  e possuem boas condições de vida.

    Na oportunidade, Gustavo falou sobre a criação da Lei Maria da Penha e destacou os dados brasileiros sobre violência contra a mulher. “No Brasil, 70% dos casos de violência são cometidos por homens com quem a mulher mantém qualquer tipo de relação de afeto. Os casos de estupro são alarmantes: temos um a cada 11 minutos. Se fizermos essa conta, só até o final da palestra teremos atingido de 4 a 5 estupros no país”, frisou.