Portal do Governo Brasileiro

  • A A A


  • IFC Camboriú e OAB firmam acordo para oferta de cursos para vítimas de violência doméstica


    Foto OABO Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú assinou o acordo de cooperação técnica com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Seção Camboriú para ofertar cursos de capacitação para mulheres vítimas de violência doméstica. Segundo o diretor-geral do campus, Rogério Luís Kerber, a ação faz parte do projeto “Apoio entre Marias” e busca a qualificação das mulheres para inseri-las no mundo do trabalho e torná-las independentes financeiramente dos abusadores. “No IFC Camboriú temos cursos que vão desde a qualificação profissional ao mestrado. Temos cursos rápidos, como “Cuidadores de idosos”, “Agente de proteção e defesa civil”, entre outros que poderão qualificar e empoderar as mulheres para sair dessa situação”, destacou o diretor.

    O projeto faz parte da ampliação do programa “OAB por Elas”, existente nas cidades de Balneário Camboriú e Camboriú. A iniciativa tem como objetivo prestar orientações jurídicas, oferecer atendimento gratuito a vítimas que não possuem condições de pagar um advogado e realizar o encaminhamento à rede municipal para atendimento psicossocial. Além do apoio jurídico, o programa também promove palestras e oficinas para conscientização e redução dos crimes contra a mulher.

    Para a presidente da OAB Camboriú, Maria de Fathima da Costa Santini Teles, os dois projetos irão ultrapassar os limites do simples atendimento. “Vamos empoderar essas mulheres para que se libertem do ciclo da violência em que ficam reféns por conta da dependência financeira. Elas terão advogados para ajudá-las na questão jurídica e toda a estrutura do IFC para que possam entrar no mercado de trabalho”, explicou a presidente.

    De acordo com a advogada Kátia Quintanilha, presidente da Comissão em Camboriú, os atendimentos são realizados na delegacia da Polícia Civil da cidade, na Rua São Paulo, e iniciam em setembro, sempre às segundas e sextas-feiras, no período da tarde. “Todas as mulheres vítimas de violência poderão receber orientações e apoio pelo projeto, mas somente as que não tiverem condições financeiras para ingressar com ações judiciais na Vara de Família serão atendidas gratuitamente por um advogado de nossa Subseção designado que deverão requerer suas nomeações ao Juiz por meio do edital que já está aberto”, finalizou.